cópia de Centro Livros.JPG

esse blog nasceu de um constante mergulhar em mim mesma e no universo ao meu redor. Perguntar-nos 'Quem sou eu?' é pra que estamos aqui!


this blog was born from a non-stop dive into myself and the universe around me. To ask onself 'Who am I?' is what we are here for!

equinócio de primavera: eu e o outro

equinócio de primavera: eu e o outro

Hoje perto das 11 horas da noite de Brasília acontece o momento exato do equinócio de primavera no hemisfério sul. É quando o Sol entra o grau 0 de Libra, signo do nós, da harmonia, do equilíbrio, da diplomacia, regido por Vênus, planeta feminino da beleza e dos relacionamentos, energia Yin.

E na segunda-feira dia 24/09, mais ou menos no mesmo horário acontece a Lua Cheia do mês Libra, em Áries, signo do eu, da iniciativa, regido por Marte, planeta masculino da individualidade, energia Yang.

Lua que rege a intimidade, a nutrição, o Yin; na casa do Sol, que rege nossa interação com o mundo, o Yang. Um de frente para o outro como num diálogo tão belo quanto intenso.

Considero a astrologia uma das mais belas linguagens para conversar com Deus. Me parece muito incrível como os movimentos todos do Céu, se observarmos com cuidado, vão contando uma história. E a história no momento fala do Eu e do Outro.

Daqui até o Solstício de Verão estamos sob a influência pesada de vibrações que pedem para olharmos para os relacionamentos da nossa vida. Entre 05/10 e 15/11, Vênus vai retrogradar das profundezas de Escorpião à Libra, como que pedindo que entremos dentro do nosso âmago para descobrir qual é o nosso desejo, o que queremos em relações, afinal?

Segundo Jung, homens e mulheres tem energias Yin e Yang distribuídas em diferente proporções entre consciente e inconsciente, moldando o comportamento. Energia Yin receptiva, flexível, multifacetada, em movimento. Energia Yang diretiva, que estabelece limites, focada, fixa.

Trabalhando muito com mulheres nos últimos anos e, claro, também com os homens, seja diretamente com eles ou através delas, lido diariamente com essa discussão. Desde jovens feridas profundamente na sua feminilidade por terem crescido numa família machista (pouquíssimas não são em tempos de Patriarcado) e com muita dificuldade de superar a dor de terem sido sempre preteridas a seus irmãos em muitos sentidos, pequenos ou grandes, e sentirem-se desvalorizadas e pouco merecedoras de qualquer coisa bacana que venha do masculino…. ou mulheres que tem sérias dificuldades nas relações afetivas com seus parceiros porque a visão que elas tem do masculino, interna e inconscientemente, é muito ruím e vem comumente associada à violência, desvalorização, submissão e descaso… ou ainda casais que buscam a consciência desse balanço e cujos parceiros ficam sempre muito mexidos quando conseguem reconhecer seus machismos, ainda que sutis, ou quando se dão conta do quanto temem a força e independência de suas mulheres…

Eu fico sempre muito tocada. Com todos esses aspectos. E tenho refletido muito, mas muito mesmo sobre como nós mulheres ainda precisamos trabalhar incrivelmente para transformar nossa visão sobre o masculino. Ser mãe de um menino também contribui nessas minhas reflexões. Sem dúvida ele me ajudou a enxergar bem melhor hoje, do que consegui através de meus irmãos, pais ou parceiros, a doçura, o foco, a persistência, a generosidade em oferecer soluções enquanto estamos abrindo demais as possibilidades a ponto de nos perdermos, o carinho e vontade de cuidar e a estabilidade que o masculino contém como virtudes, quando equilibrado.

Assim como me toca muito quando vejo mulheres que conseguem baixar as armas esculpidas pelas feridas para viver seu Yin de maneira mais plena e saudável, aceitando ajuda, sentindo-se seguras de seu valor e seu poder, apenas sendo, e abrindo mão da crença de que só o fazer da energia Yang pode lhes garantir segurança nessa vida.

Desejo que possamos refletir muito sobre esses aspectos junto com a vibe do Céu e com uma ajudinha, quem sabe, chegarmos ao final do ano com mais clareza e equilíbrio nas nossas relações afetivas. Afetivas vem de afeto = aquilo que me afeta/me afetou em algum momento da minha estrada.

Procurar um olhar sobre como meu comportamento pode estar afetando o outro, amorosa e abertamente, pode ser uma boa trilha para o caminho. Que a primavera seja florescente por ai! <3

p.s.: sugestão de leitura João de Ferro - Um livro sobre Homens - de Robert Bly - link para pdf

p.s. 1: nesse post falo mais sobre as manifestações típicas das energias Yin e Yang

Conheça a ti mesmo através da Osteopatia

Conheça a ti mesmo através da Osteopatia

queridos pais e mães, por favor, cuidem das suas vidas

queridos pais e mães, por favor, cuidem das suas vidas